Por marina.rocha

Niterói - Ter um animal requer muito mais que amor: é preciso muito cuidado. Afinal, nossos filhos de quatro patas podem transmitir doenças graves, que podem até matar. São as chamadas zoonoses.

No caso da leishmaniose visceral, o cão é o principal reservatório do parasita. No entanto, ela é transmitida ao homem pela picada de um inseto conhecido como mosquito palha. Assim, o bicho que voa pica o bicho que late e depois o bicho Homem.

Leishmaniose visceral%2C esporotricos e toxoplasmose são algumas doenças que podem afetar os petsDivulgação

Em humanos os sintomas são: febre por mais de sete dias, palidez e aumento do baço e do fígado. Nos cães são febre irregular, apatia, emagrecimento e lesões cutâneas (geralmente no focinho, orelhas e extremidades).

Outra zoonose, a esporotricose é uma micose causada por fungo. Mais comum em gatos, pode atingir também os cães. A contaminação se dá por mordidas ou arranhões e pelo contato com lesões de animais doentes. Tipo, você faz um carinho no bichano e ‘tá lá um corpo estendido no chão’.

Os gatos apresentam nódulos e úlceras que podem estar recobertas por crostas. Nos homens aparecem nódulos que podem aumentar de tamanho e acometer vasos linfáticos. Castrar o gato é uma das principais recomendações para evitar a doença.

Muita gente pensa ainda que o gato é o principal transmissor da toxoplasmose. Não é, mas podem contribuir para a proliferação dela porque são os únicos capazes de eliminar o parasito nas fezes contaminando o solo e água. Os felinos se infectam principalmente ao ingerirem roedores e aves.

A toxoplasmose no ser humano pode causar problemas oculares, inclusive cegueira, além de outros males. Em gestantes pode causar problemas no feto e até aborto. Medidas simples como lavar os alimentos antes de consumí-los, ingerir carnes bem cozidas, leite fervido ou pasteurizado, lavar sempre as mãos evita a contaminação.

Mulheres devem fazer a testagem sorológica quando planejam engravidar e durante o pré-natal.

As dicas são dos veterinários da Fiocruz Sandro Antônio Pereira, Isabella Dib Ferreira Gremião e Rodrigo Caldas Menezes.

Tire sua dúvida

Alda Macedo, Icaraí: Tenho uma coelha. Elacorre risco de desidratar devido ao calor?

Sávio Freire Bruno, veterinário: Coelho doméstico é de origem europeia e precisa de alternativas para se adaptar ao calor. Mantê-lo em ambiente climatizado ou arejado, como varanda — desde que não bata sol—, e dar água fresca (não gelada) e alimentos frescos, amenizam o calor.

Essa cadelinha tem cerca de seis meses e está disponível para adoçãoDivulgação

Me leva?!

Sou uma menina entre 5 e 6 meses e estou prontinha para ser adotada. Se quiser me dar um lar e me amar mande e-mail para [email protected] Tenho certeza que seremos felizes juntos! Prometo.

Banho seco

A crise hídrica trouxe novidade para os animais: o banho seco dado com produtos para esse tipo de higiene. Eles contêm neutralizadores de odor e hidratantes, são em spray ou gel e podem ser aplicados com toalha ou gaze. Mas, antes, é bom escovar os pelos. Lenços umedecidos também auxiliam na limpeza do animal depois de fazer as necessidades. As dicas são da Pet Center Marginal/Petz (SP).

Atendimento popular

O Hospital Veterinário do Centro Universitário Anhanguera de Niterói fez 3.600 atendimentos de janeiro a dezembro de 2014 a animais domésticos das comunidades de Itaboraí, onde fica o curso de Medicina Veterinária. Além das consultas, também são realizados exames complementares como raio-X, ultrassonografia e laboratoriais. As consultas têm preços populares: custam entre R$ 10 e R$ 20 e devem ser agendadas pelos 3803-0698 ou 2635-6143. O hospital fica na Estrada Cabuçu s/n, Caluge, Itaboraí.

Comida e água

O kit de comedouro para gatos dá maior comodidade e higiene ao animal na hora de comer evitando que o bichano derrube a comida no chão, o que é comum acontecer. Vem com uma bandeja, que tem bordas na laterais para que o líquido não escorra, e dois potes: um para comida e outro para água. Custa R$ 54,90 no shoptime.com.br.

Você pode gostar