Niterói, Itaboraí e São Gonçalo oferecem tratamentos de referência de graça

Região vem se destacando em serviços de excelência na área de saúde pública no estado

Por O Dia

Niterói - Há três anos, Vanderlei Vieira Pereira, de 55 anos, sentiu uma coceira no rosto, mas não se importou com a sensação que parecia ser normal. O problema se agravou e ele, então, procurou um médico. O diagnóstico: câncer de pele. Em estado avançado, a lesão teve que ser retirada com cirurgia feita na última sexta-feira, por médicos da equipe de cirurgiões do Instituto Ivo Pitanguy. Eles ainda farão plástica no rosto de Vanderlei, para que não fiquem marcas.

Gustavo%2C de 5 anos%2C diagnosticado com autismo%2C recebe atendimento em Clínica-Escola única no país%2C criada em ItaboraíFábio Gonçalves / Agência ODIA

O instituto é referência mundial em cirurgia plástica. O serviço em São Gonçalo, implantado pela prefeitura da cidade, é referência no tratamento de câncer de pele facial no Leste Fluminense. Formada por quatro médicos, a equipe de Ivo Pitanguy atende duas vezes por semana no Complexo Hospitalar Luiz Palmier, na Praça Zé Garoto, Centro. No grupo estão os cirurgiões Tiago Lyrio, chefe da equipe, Leandro Ventura e Pablo Trindade, e o anestesista Alexandre Feres.

Vanderlei já fez o risco cirúrgico e deve operar mês que vem. Ele estava há um ano esperando pelo procedimento em um hospital em Niterói. “Estou confiante”, espera ele. “Temos muita demanda como essa em São Gonçalo. O serviço ajudou a cuidar dessas pessoas e também a desafogar o hospital para atender a outras cirurgias”, explica Lyrio.

A região, aliás, vem se destacando em serviços de excelência na área de saúde pública no estado. Itaboraí, por exemplo, tem a única Clínica-Escola do Autista do Brasil, criada pela prefeitura da cidade. A unidade atende, de graça, cerca de 100 pessoas. Desde que foi inaugurada, há um ano, Gustavo Marques, de 5, vai duas vezes por semana à unidade com a mãe, Janaína Marques, 31. Lá, ele é assistido por uma equipe multidisciplinar. Janaína descobriu o autismo do filho aos 2 anos.

“Ele não falava, usava fralda e tomava mamadeira. Depois do tratamento já tem um vocabulário bom e saiu da condição de bebê para a de um menino da idade dele”, comemora ela.

Equipe de Ivo Pitanguy vai operar Vanderlei%2C que sofre com câncer de peleFábio Gonçalves / Agência ODIA

A clínica-escola tem 20 funcionários. Mas, até que ela fosse criada, Janaína penou para tratar o filho. Na clínica ela aprendeu até que a alimentação é importante. “O glúten, leite e derivados alteram o comportamento dos autistas. Mudei a alimentação do meu filho e ele melhorou”, conta ela. 

São Gonçalo, no Colubandê, tem ainda o Hospital Estadual Alberto Torres, especializado em traumas. Já na área de emergências, a rede estadual mantém em Niterói o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, para casos de média e alta complexidade. A cidade tem ainda o Instituto Estadual de Doenças do Tórax Ari Parreiras, no Barreto, referência para tuberculose e HIV/AIDS.

Últimas de _legado_Niterói