Por karilayn.areias
Grupo Forró-Pé-de-Serra se apresenta aos domingos%2C às 16hDivulgação

Rio - Em época de festejos juninos, o Museu Janete Costa abre as portas para um tributo a Jackson do Pandeiro. O ícone dos ritmos nordestinos ganhou uma exposição e deu ao espaço um clima bem típico do nordeste. Tem oficina de instrumentos de percussão, barraquinhas de quentão, cachorro-quente e bolo de aipim, além de roda de danças populares.

O curador do museu, Wallace de Deus, afirma que as atividades têm alcançado sucesso de público e trazido novos visitantes para o local. “As pessoas estão gostando muito, estamos recebendo a demanda por um museu aberto, com programação diversificada. Além do tributo, temos mais duas exposições. Uma de Darcy Ribeiro e outra de Jorge Britto”, destacou.

A oficina de ritmos nordestinos gratuita com os músicos Zé Gomes, Zé Leal, Marcelo Caldi e Sergio Chiavazzoli, do grupo Forró-Pé-de-Serra, é destaque na programação. As aulas acontecem às quartas-feiras, de 16h às 18h. Os alunos aprendem a tocar zabumba, triângulo, pandeiro, agogô e por aí vai. E todo domingo eles se apresentam baseados, claro, no repertório de Jackson. O instrutor Zé Gomes é sobrinho do homenageado.

“O Arthur Maia (secretário de Cultura) me chamou para realizar esse projeto que é maravilhoso. Fico muito feliz em ver a memória do meu tio tão viva. Eu trouxe para a exposição alguns itens pessoais dele como o pandeiro, o chapéu e o reco-reco de bambu”, disse.

No sábado, tem apresentação do grupo Disco é Brasa. Todas as atividades acontecem aos sábado e domingos, de 16h às 20h. O Museu Janete Costa de Arte Popular fica na Rua Presidente Domiciano 178 a 182, são Domingos. A entrada é gratuita.

Você pode gostar