Por marina.rocha

Niterói - No próximo domingo o bancário Alberto Augusto da Cruz Filho, de 49 anos, vai voltar no tempo, mais precisamente 30 anos atrás, e reviver as emoções da primeira edição do Rock in Rio, em 1985. Na época, assistiu James Taylor, Al Jarreau e outros artistas do rock mais pesado e tomou, claro, o inesquecível banho de lama.

Alberto será um dos milhares de niteroienses que vão atravessar a Ponte para ir ao Rock in Rio, que começou na sexta-feira. Já se apresentaram por lá Queen e Adam Lambert no vocal fazendo as vezes de Freddy Mercury — uma das atrações mais marcantes de 1985 — One Republic, Lenine, Ira e Metallica.

Hoje tem Rod Stewart%2C Elton John%2C Paralamas do Sucesso e John LegendJoão Laet / Agência O Dia

O dia 27 foi escolhido pela família de Alberto porque tem atrações que agradam a ele e à mulher, Claudia Honorato, de 45, e a filha Amanda, de 15. A adolescente é fã de Katy Perry, e o casal quer ver A-Ha e Cidade Negra. Nesse dia ainda tem Aluna George, Al Jarreau, Marcos Valle, entre outras atrações espalhadas pela Cidade do Rock, na Barra da Tijuca. 

Para Alberto, essa edição tem um gosto especial porque vai dividir o revival, como ele chama o festival, com a filha. “É a primeira vez que ela vai e a minha primeira vez depois de 1985. Estamos muito ansiosos. Será especial dividir esse programa com ela. Vários shows da primeira edição me marcaram, mas o que ficou mesmo na memória foi o banho de lama”, diverte-se sorridente o bancário. 

É que na época choveu muito e o chão de terra da Cidade do Rock virou um lamaçal. Nem aí para a sujeira e embevecidas pelo rock, as pessoas, literalmente, deitaram e rolaram pelo chão fazendo do banho de lama uma atração à parte no festival.

“A minha expectativa é muito boa, dá vontade de ir logo. Todo mundo fala em Rock in Rio, que é inesquecível. Acho que meu pai vai ter um choque porque em 30 anos muita coisa mudou”, diz Amanda Honorato da Cruz. Já Larissa, de 12 anos, a outra filha do casal, Alberto prometeu levar na próxima edição.

Apesar de todo o esquema especial de transporte para se chegar até a Cidade do Rock preparado pela prefeitura e organização do festival a maioria dos niteroienses prefere alugar um ônibus. Alberto vai com Luiz Claudio de Carvalho Santos, o Maradona, que há mais de 30 anos transporta niteroienses aos grandes shows.

“É mais seguro e mais cômodo. Não precisamos fazer baldeação. Vale a pena pagar um pouco mais”, avalia Alberto.

Ônibus que sai de Niterói

Maradona também vê os shows. “Uni o útil ao agradável”, conta ele, que tem levado cerca de 500 pessoas por dia ao festival. Ainda há vagas. A passagem custa R$ 70. Informações: 7741-3892.

Os portões da Cidade do Rock abrem às 14h. O mais recomendável é ir de BRT. Há uma estação para o Rock in Rio do Terminal Alvorada à Av. Embaixador Abelardo Bueno. Ida e volta é R$ 7,80 ou R$ 6,80 com Riocard. Há ainda ônibus especial saindo de 16 pontos do Rio, sem paradas, até o local: R$ 70.

Hoje tem Rod Stewart, Elton John, Paralamas do Sucesso e John Legend. Quinta é System of a Down. Sexta, Faith no More. E sábado, Rihanna e Lulu Santos.

Você pode gostar