Conheça as ações de combate ao câncer de mama do Outubro Rosa

Palestras, caminhadas e rodas de conversa vão mostrar como tratas a doença

Por O Dia

Niterói - Chegou o mês do ano em que o mundo fica cor-de-rosa. É quando o câncer de mama, o tipo mais comum da doença em toda a região Sudeste, fica em evidência. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer, o Inca, é que 57 mil novos casos sejam registrados em 2015. Para fazer frente ao número, palestras, caminhadas e rodas de conversa vão mostrar como prevenir e tratar a patologia. Serão diversas ações até o próximo dia 31.

Somente nos últimos três dias já rolou panfletagem, entrega de rosas, flash mob e até motociata. Amanhã, às 13h30, tem uma palestra na câmara da cidade com a mastologista Thereza Cypreste, que também é fundadora da Associação dos Amigos da Mama em Niterói (Adama).

Paulo Gonçalves (esq)%2C Daniela Gonçalves%2C Camila Cavalcanti e Fátima Teixeira são voluntários da campanhaMárcio Mercante / Agência O Dia

“O objetivo é conscientizar a população de que o diagnóstico precoce é a melhor forma de vencer o câncer. E isso deve ser feito com auto cuidado corporal, que inclui o exame de toque da mama, ida anual ao médico e realização da mamografia após os 40 anos”, alerta Thereza.

Desde o início de setembro, voluntários do Outubro Rosa, em parceria com a ONG Niterói Mais Humana, estão atendendo à população em um container montado na praia de Icaraí. Até agora cerca de 1,5 mil pessoas já passaram por ali para se informar, ajudar ou simplesmente compartilhar uma história. Estão sendo vendidas camisas da campanha por R$ 35 e a renda vai para a Fundação Laço Rosa, que ajuda na luta contra o câncer de mama.

“A gente vê que o maior medo das pessoas é fazer o exame. Nós mostramos que é necessário, e também apoiamos quem já foi diagnosticado. Recebemos muitos visitantes e é muito legal ver que também tem tanta gente querendo ajudar”, destaca a coordenadora da campanha Camila Cavalcanti.

Quem já teve a doença ou está em tratamento afirma que o Outubro Rosa é de grande importância. A professora Angella Batista de Sousa, de 27 anos, descobriu o tumor há um ano e meio, após levar um tombo no banheiro. “Ficou uma manchinha escura no meu corpo. Aí, eu procurei o médico que desconfiou que eu poderia ter a doença. A atenção tem que ser dada todos os dias. Eu mesma não imaginava ter câncer”, relata.

E está em cartaz até o dia 31 de outubro no Solar do Jambeiro a exposição Amigas da Vida. São fotos de mulheres com câncer de mama registradas por Renato Moreth. No dia 18, a partir das 8h, vai rolar a Remada Rosa, na Praia de Icaraí. No dia 24 vai ter a pedalada, com concentração às 8h na Concha Acústica, e no dia 25, às 9h, a caminhada na Praia de Icaraí. Para encerrar, no dia 31, tem a corrida que começa às 7h30 no Tio Sam de Camboinhas.

Últimas de _legado_Niterói