Polícia Militar antecipa Operação Verão e intensifica patrulhamento nas praias

Segundo o comandante do 12º Batalhão, Fernando Salema, 300 homens estão envolvidos na ação

Por O Dia

Niterói - A estação mais quente do ano ainda não chegou, mas as altas temperaturas fizeram o comando da Polícia Militar de Niterói antecipar a Operação Verão já empregada há um mês nas praias da cidade e de Maricá. Os arrastões na orla da Zona Sul do Rio também acenderam a luz vermelha da PM do lado de cá da baía.

Mas o comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Fernando Salema, garante que o verão dos papagoiabas não terá problemas, mesmo assim o policiamento seguirá reforçado até o fim da estação. Segundo o oficial, ao todo, 300 PMs são empregados no patrulhamento nesse período. O policiamento acontece sempre aos sábados e domingos. Alguns policiais atuam em quadriciclos nas areias e outros em viaturas e a pé.

Em Camboinhas%2C o quadriciclo facilita a locomoção dos policiaisBruno de Lima / Agência O Dia

“Não temos históricos de arrastão e violência nas praias de Niterói. A cidade tem um perfil de banhistas muito diferente do Rio. Mesmo em locais onde há comunidades e pontos finais de ônibus as pessoas não fazem baderna. Elas vão lá apenas para se divertir. E cada praia da cidade também tem uma característica”, explica ele referindo-se à geografia da Região Oceânica.

“Camboinhas e Itacoatiara têm apenas uma entrada e uma saída. Isso facilita o cerco aos criminosos caso haja problemas”, diz o oficial ressaltando que há postos fixos de polícia em toda a região de praias de Niterói, o que reforça a segurança no verão.

“E em Icaraí temos uma viatura baseada no calçadão, além da cabine da Guarda Municipal que atua em conjunto com a gente. Em Charitas e São Francisco fazemos ronda, mas podemos usar também o quadriciclo na orla Zona Sul”, explica Salema.

Além de viaturas e PMs a pé, os policiais também patrulham as praias em quadriciclos, um deles circula por Camboinhas. Ao todo são seis veículos. “Isso facilita a locomoção dos policiais em casos de emergência e os deixa mais próximos aos banhistas”, explica Salema. “Até agora não tivemos problemas, mesmo nos dias mais quentes, com praias lotadas”, comemora o oficial.

Embora a distância entre o Rio e Niterói seja pequena, ele não acredita que os cariocas irão ‘invadir’ a nossa praia. “A Avenida Brasil está muito engarrafada e o trânsito no Rio muito ruim devido às obras. Acho que as pessoas não estão dispostas a encarar isso só para ir à praia”, acredita o comandante.

Magrelas contra o crime

Já o policiamento em Maricá esse ano tem uma novidade: as bicicletas. Policiais circulam com as magrelas pela orla nos horários em que há mais pessoas no calçadão, entre 6h às 11h, e voltam no fim do dia. Segundo o comandante da 4ª CIA da PM, capitão Marcelo Barreto, esse é o horário de maior incidência criminal.

“Nesse período há muita gente no calçadão caminhando ou correndo e o patrulhamento de bicicleta é o ideal para os tipos de ocorrências que acontecem ali como roubo de cordão e celular”, explicou ele. Para atuar com as bikes, os PMs fizeram treinamento no Batalhão de Turismo no Rio.

O patrulhamento também é feito em motos e viaturas. E nos moldes do que acontece na capital, em Maricá há revistas em ônibus e cerco nas entradas das praia e lagoa. “Detectamos gente vindo para cá com armas e drogas. Montamos o cerco e revistamos até carros”, avisa Barreto.

Últimas de _legado_Niterói