Quadra da Viradouro recebe a ópera Alabê de Jerusalém

A peça fica em cartaz de quarta á sábado. E é de graça

Por O Dia

Niterói - Se prepare para voltar dois mil anos no tempo e conhecer a história de Ogundana, um africano que foi amigo de Jesus Cristo. Gostou? A quadra da Viradouro vai receber a ópera Alabê de Jerusalém de quarta à sábado, sempre às 20h30, com entrada gratuita. Será uma prévia do Carnaval da Vermelha e Branca, que levará para a Avenida um desfile contando esse mesmo enredo.

Alabê de Jerusalém conta a história de OgundanaDivulgação

Com assinatura de Altay Veloso, a ópera estreou em 2005, no Teatro Municipal do Rio, e de lá para cá já rodou diversas cidades. É uma montagem fruto de mais de 25 anos de pesquisa com viagens à Nigéria, Egito e Israel. O elenco completo tem participação de 60 pessoas entre atores, músicos e bailarinos. Tem direção e coreografia de Fábio de Mello, e participação de dezenas de artistas como Isabel Fillardis, Watusi e Jayme Periard.

A saga de Ogundana começa quando ele, aos 12 anos, deixa sua tribo do reino Iorubá e segue rumo ao norte da África. Sua caminhada dura oito anos, durante os quais conhece nações, atravessa desertos, savanas, montanhas e vales africanos, e chega, enfim, às margens do Rio Nilo. Ali Ogundana aprende as técnicas medicinais do Egito que, junto aos conhecimentos terapêuticos de sua aldeia, o torna um homem capaz de curas.

A partir de então ele se torna um grande médico, se apaixona, conhece Jesus Cristo e o segue até os últimos dias de vida, em Jerusalém.

A história é contada pelo próprio Ogundana, que num templo de culto africano, retorna ao planeta como uma entidade de nome Alabê de Jerusalém para relatar sua experiência.

Altay Veloso diz que a história tem grande importância cultural, uma vez que traz à tona discussões sobre intolerância e desrespeito às diferenças. “Por isso resolvemos produzir a ópera na quadra da escola, para levar o espetáculo a um público que não teria acesso”, disse.

Ele destaca que o Alabê vem tratar das relações de ancestralidade que o Brasil tem com a África. “Uma identificação que precisa ser reconhecida para o amadurecimento do país”, falou.

Gonçalense com orgulho, Veloso é só sorrisos por sua história ter sido escolhida pela Viradouro para o Carnaval deste ano. “Me sinto presenteado. E tem tudo a ver, afinal, escola de samba é uma ópera que anda, que desfila. É uma obra de arte”, comemorou ele, que estará na Sapucaí.

SERVIÇO

O Alabê de Jerusalém é uma ópera brasileira de Altay Veloso com direção de Fabio de Mello.

Temporada: de 13 a 16 de janeiro, sempre às 20h30. Na quadra da Unidos do Viradouro. Avenida do Contorno 16, Barreto. A entrada é gratuita. Outras informações: 2621-5050.

Últimas de _legado_Niterói