Por paola.lucas

Niterói - No Carnaval da crise, as escolas de samba representantes do lado de cá da Ponte lutam pelo mesmo objetivo: um lugar no Grupo Especial em 2017. Viradouro, Cubango e Porto da Pedra entram na Marquês de Sapucaí nos dias 5 e 6 de fevereiro em busca do título da Série A do Carnaval 2016.

Meninas da Viradouro e da Cubango dão graça e beleza ao carnaval cariocaJoão Laet / Agência O Dia

Apesar de um cenário econômico desfavorável, os carnavalescos das escolas niteroienses garantem um desfile de peso. Max Lopes, à frente da Vermelha e Branca, diz que o jeito foi economizar em muitos detalhe.

“A crise nos afetou totalmente, ainda mais por estarmos no grupo de acesso, que não tem incentivo quase nenhum. Mas aproveitamos muitos materiais de alegorias antigas, coisas que já tinham no barracão, e reciclamos muita coisa, usamos vários trabalhos com garrafa pet”, contou.

Ainda assim, o enredo ‘O Alabê de Jerusalém, A Saga de Ogundana’ promete arrasar no primeiro dia de desfile. O presidente Gusttavo Clarão diz que montou uma equipe com muita experiência para ganhar o Carnaval. “Estamos com muita garra e queremos voltar para o Grupo Especial. Nosso enredo e nosso samba já foi considerado pela crítica um dos melhores do carnaval em 2016”, destacou Clarão.

Muita criatividade e cores embalam os desfiles das escolas de NiteróiJoão Laet / Agência O Dia


Um dos reforços é o Mestre Paulinho, que tem no currículo 49 anos de Sapucaí. “Pode nos aguardar, pois vamos dar o que falar na Avenida. A bateria vai entrar com tudo, com paradinha e outras surpresas”, anunciou.

Ele entregou que uma inovação é que a rainha da bateria, Raíssa Machado, é quem vai reger os ritmistas em alguns momentos. “É uma grande responsabilidade, mas me dou bem com todo mundo e estou tendo um ótimo professor. Vai dar certo”, disse a morena.

A Cubango também está animada para apresentar o enredo ‘Um Banho de Mar à Fantasia’, e tem uma grande missão: fechar o desfile do Grupo de Acesso no sábado.

Segundo o carnavalesco da Verde e Branca, Cid Carvalho, 90% do show já está pronto. “Vamos inovar para despertar o interesse do público. Vai ter sereia sendo carregada em uma ala, um polvo gigante articulado em outra, são várias surpresas”, adiantou.

E para driblar o momento econômico desfavorável, ele diz que só não economizou na criatividade. “Sempre tem caminhos alternativos. Usamos copos plásticos, quentinhas, galhos recolhidos, sobra de saco de lixo e outros materiais para fazer as alegorias”, falou o carnavalesco.

Cada escola entrará na Avenida com quatro carros alegóricos e cerca de 2,5 mil integrantes.

Você pode gostar