Por leandro.eiro

Newport, California (EUA) - Ele desembarcará no Brasil. Falamos do Altima, que a Nissan lançará no mercado nacional em outubro — o sedã ficará em um patamar acima do Sentra, que também estreia no mesmo mês. Fabricado em Smyrna, no Tennessee, Estados Unidos, o modelo chegará em apenas uma única versão, a SL — a R$ 99,8 mil.

O Altima ostenta linhas sóbrias no visual e interior é bem espaçosoDivulgação


Tendo como concorrentes diretos Ford Fusion, Honda Accord e Toyota Camry, entre outros, o Altima virá equipado somente com o motor quatro cilindros a gasolina 2.5 litros de 182 cv de potência máxima. Esta unidade trabalha em conjunto com um câmbio CVT. Para não fazer feio diante dos rivais, o modelo chega recheado de itens de série.

Além de airbags e freios com ABS e EBD, por exemplo, o Altima tem outros dispositivos para a segurança. É o caso do ‘Safety Shield’. Este é composto por câmera de ré e sistema de monitoramento de pontos cegos nos espelhos retrovisores e de mudança de faixa. Há ainda detector de objetos em movimento, que funciona quando se engata a marcha à ré e avisa quando algo ou alguém se aproxima da traseira do sedã.

Para o conforto, volante multifuncional, ar-condicionado de duas zonas e bancos dianteiros com ajustes elétricos. Os assentos, aliás, foram desenvolvidos, de acordo com a marca, sob o conceito de gravidade zero, da Nasa. Ou seja, foi criado para minimizar os esforços musculares, garantindo menos cansaço e melhor ergonomia.

Habitáculo do Altima tem acabamento esmeradoDivulgação


Impressões

Durante as comemorações dos 80 anos da Nissan nos Estados Unidos tivemos a oportunidade de conhecer mais de perto o Altima. Visualmente imponente, mas com linhas sóbrias, o sedã tem design acertado, com vincos bastante pronunciados.

Carro mais vendido da marca japonesa no mercado norte-americano, o Altima está na quinta geração e chama a atenção o amplo espaço interno. Graças ao generoso entre-eixos de 2,77 metros, que garante conforto a bordo.

O habitáculo do Altima tem acabamento esmerado, sem rebarbas aparentes. Há ainda farta utilização de materiais como couro e plásticos injetados de boa qualidade. E para facilitar a vida do motorista, é fácil encontrar posição de dirigir ergonômica.

Afinal, ajustes de altura e profundidade do banco e da coluna de direção deixam o motorista bem à vontade a bordo do Altima. O volante multifuncional também facilita direção bastante confortável, assim como os principais comandos do carro, que estão ao alcance das mãos.

O painel de instrumentos, com mostradores analógicos e display ao centro com as informações do computador de bordo, são de fácil leitura. A retrovisão é outro ponto positivo, pois garante manobras e ultrapassagens seguras.

No quesito motorização, devemos destacar que dirigimos a versão equipada com motor V6 3.5 litros de 270 cv de potência, a topo de linha. É parruda e empolga pela performance. Destaque para o câmbio CVT, com respostas rápidas às solicitações e borboletas atrás do volante. Agora é esperar para ver como se comportará a versão SL que virá para o Brasil, com motor 2.5 litros.

Repórter viajou à convite da Nissan

Altima chega para brigar entre sedãs grandes. Preço é de R%24 99.800Divulgação


Você pode gostar