Mais poluição dos carros do povo

Agência Reuters apura outros softwares que escondem emissões em motores da Volkswagen

Por O Dia

Rio - A fraude da Volkswagen pode ser ainda maior. Segundo a agência de notícias Reuters, a montadora alemã pode ter usado softwares em outros três motores além da família diesel EA189. O programa em questão atua para enganar os dados de emissões de poluentes em testes de homologação.

A publicação conta que as adulterações eram de conhecimento de um gerente da Volkswagen. Cogita-se que o número de pessoas envolvidas nas fraudes possa ser bem maior que o estimado, uma vez que apuram a existência de várias versões do software, o que necessitaria de um maior contingente em torno das atividades irregulares, notadamente a programação dos motores. Este total pode vir a influenciar o cálculo de potenciais multas e interferir na amplitude do processo de mudança na administração da empresa.

O motor TDI%2C um turbo diesel que já foi considerado revolucionário%2C contem um software que ‘percebe’ os testes de emissões e entra em modo de emergênciaDivulgação

Por enquanto, a Volkswagen admitiu que 11 milhões de veículos deixaram a fábrica com o software fraudulento. Na semana passada, a marca alemã anunciou que em 2016 vai iniciar um recall de 8,5 milhões de carros diesel, apenas na Europa, para substituir o componente ilegal. No Brasil, o único modelo vendido com o motor adulterado é a Amarok, mas a filial da montadora no país ainda não confirmou se a picape possui ou não o software para burlar testes de emissões.

A empresa admitiu em 18 de setembro ter usado um software que poderia identificar quando um veículo a diesel estava sendo testado e então reduzir temporariamente as emissões para conseguir passar nos testes reguladores dos EUA.