Por bianca.lobianco

Rio - O ‘velho de guerra’ Renault Clio está prestes a se aposentar no Brasil. Enfim, a marca francesa deve substituí-lo pelo Kwid, mais moderno e desenvolvido na Índia para os países em desenvolvimento. O compacto já está rodando em testes por aqui, com quase nenhuma camuflagem. Deve ser apresentado para nós no Salão de São Paulo, em outubro.

O modelo concentra predicados bem interessantes. Para começar, ele pesa em torno de 700 kg — só isso mesmo —, tem uma altura livre do solo elevada (18 cm), bom espaço interno e capacidade do porta-malas em torno de 300 litros. Popular, vai vestir um acabamento bem simples no interior, assim como o painel de instrumentos, sem deixar de concentrar recursos importantes como a central multimídia Media Nav, disponível na gama Renault. A linha Kwid no Brasil terá cinco versões, oficialmente registradas pela Renault no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial): Iconic, Intens, Life, Urban e Zen.

MOTOR EMPRESTADO

O Kwid terá debaixo do seu capô o propulsor três cilindros 1.0 litro emprestado do Nissan March, uma vez que as marcas são parceiras. No compacto da fabricante japonesa a potência é de 77 cv e o torque é de 10 kgfm. Para o estreante, o trem de força pode ganhar uma calibração própria. Existe ainda a possibilidade da unidade 0.8 l, que equipa o hindu, ser utilizada aqui, em um momento posterior não definido. Seja qual for, o câmbio associado será manual de cinco marchas.

A produção do Kwid acontecerá na fábrica da Renault em São José dos Pinhais (PR). ele vai enfrentar rivais como o ‘quase lançado’ Fiat Mobi.

Você pode gostar