Golf volta às origens na fábrica do Paraná, agora em nova geração

Queridinho do mercado, a paixão nacional está de volta

Por O Dia

Rio - O Volkswagen Golf acaba de voltar a ser nacional depois de pouco mais de dois anos sendo importado da Alemanha e depois do México. O hatch médio está sendo produzido na fábrica da montadora alemã em São José dos Pinhais (PR).

A nacionalidade implicou em mudanças, vamos detalhar através das versões do carro. A de entrada, Comfortline (R$ 74.590), passa a vir equipada com o motor MSI 1.6 litro 16V flex, de 120 cv e 16,8 kgfm, com etanol. Este propulsor é o encontrado em Gol Rallye, Fox, CrossFox e SpaceFox Highline. O câmbio é manual de cinco marchas ou automático de seis, neste último o preço eleva-se para R$ 80 mil.

Esta versão traz equipamentos como lanternas de LED%2C ar-condicionado automático%2C sistema liga/desliga do motor%2C volante multifuncional e sensores de chuvaDivulgação

Segundo a marca, esta versão acelera de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos e atinge máxima de 188 km/h. Sua lista de equipamentos oferece sete airbags, controles de tração e estabilidade, bloqueio eletrônico do diferencial, faróis de neblina com luz de conversão estática, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, assistente de partida em rampa e central multimídia com espelhamento de smartphones via Android Auto e Apple CarPlay, mas sem GPS.

Saltando para o Highline, esta variante passa a ser única com o motor 1.4 TSI, agora flex e com 150 cv e 25,5 kgfm. Exclusivo também é o câmbio manual de seis marchas, para fechar o preço em R$ 91.290. Com transmissão DSG,dupla embreagem e sete marchas, passa para R$ 96.690. Os números registram aceleração de 0 a 100 km/h em 8,3 s e máxima de 209 km/h. Esta versão traz equipamentos como lanternas de LED, ar-condicionado automático, sistema liga/desliga do motor, bancos de couro, volante multifuncional e sensores de chuva e luminosidade.

O câmbio é manual de cinco marchas ou automático de seis%2C neste último o preço eleva-se para R%24 80 milDivulgação

As duas versões usam suspensão traseira de eixo de torção. Nos importados, o sistema era multibraço, independente para cada roda, de qualidade superior. O alemão ainda tinha freio de estacionamento elétrico.

PRESERVADO

O esportivo GTI mantém seus predicados : motor a gasolina 2.0 litros de 220 cv, câmbio DSG de seis marchas e suspensão multilink independente. Chega à máxima de 237 km/h. Novidades nas rodas de 18 polegadas , como opcional. O som Fender é outro interessante item oferecido, sem contar a clássica forração xadrez dos bancos. Parte de R$ 118 mil. 

Últimas de _legado_Automania