Novos carros terão Gorilla Glass

Vidros finos e leves que vieram dos smartphones e muita, mas muita eletrônica na frota mais atual

Por O Dia

Rio - Próprias da indústria aeroespacial e da automotiva—nesta,quando os custos permitem— as novas tecnologias vão chegando em ritmo de pressa e perfeição, a última necessária para evitar os milhões de carros atingidos por recalls, como foi ano passado.

Os caminhos para os carros estão abertos pela eletrônica, que, de tão desenfreada, apresenta hoje acessórios incríveis como o WAY RAY que divulgamos semana passada. O sistema entrega dados do carro e ‘lê’ a pista à frente, se comunica com o celular e pode ser colocado em qualquer carro já produzido. Ótimo não?

Com motor V6 EcoBoost de 600 cv de potência o novo Ford GT vai abalar a partir do fim deste ano. Vidros finos e leves são destaque tecnológicoDivulgação

Na Bosch, pródiga em boas notícias, surge o acelerador inteligente, que reduz o consumo de combustível por simples indução direta no pé de quem acelera. O pedal vibra e avisa o ‘pé de chumbo’. Ele funciona também para situações potencialmente arriscadas, como a aproximação de uma curva fechada em alta velocidade, mas , neste caso, associado ao sistema de navegação ou a câmeras embarcadas. Com o apoio, o acelerador eletrônico consegue até conter motoristas que estejam passando da velocidade, através de contrapressão no pedal. Mas esta opção passa a ser questionável em casos de emergências.

No centro de tudo, inclusive no centro da grade do carro, a câmera tem papel fundamental. Cada vez mais presente, permite ao automóvel atuar automaticamente nos freios, na iminência de uma batida em baixa velocidade. No Brasil já estão disponíveis para o Golf e Focus. Entre importados mais caros, são comuns. Funcionam conjugadas aos sensores de ultrassom, com leitura de obstáculos à frente e podem ser associadas a radares para fazerem também o parqueamento automático, o que antecipa as tecnologias dos carros autônomos.

Estes modelos, que estarão em poucos anos no mercado, certamente vão usar o Gorilla Glass, o vidro dos smartphones, mais fino, leve e resistente, que irá equipar os Ford GT. Este vidro híbrido, feito pela Corning tem camadas, como os laminados atuais, mas é entre 25% e 50% mais fino, 30% mais leve e mais resistente que os que você conhece. Ele também você conhece: está nos celulares de última geração.

Mitsubishi Outlander com o HDC ativo na descida em baixa aderência Divulgação

Vantagens para a economia de combustível, performance e distribuição de massas nos projetos, que terão maior estabilidade com o centro de gravidade mais baixo. Nós testamos há dois anos, em uma viagem ao ártico, sistema de direção indutivo, contra derrapagens fatais no gelo. A ideia é que o volante vibre para o lado que o motorista deve esterçar para fazer a manobra mais segura na pista congelada, no momento em que a eletrônica perceber a derrapagem. 

Não restritivo, dá uma boa ajuda, mas ainda não é aplicado comercialmente. Perto dele, os conhecidos Adaptive Cruise Control, Hill Descending Control, que regula as descidas (bem lentas) em pistas escorregadias, normalmente em gelo ou lama, o BAS, que auxilia pressão dos freios ABS, que você já conhece, lembram tecnologias da década passada.

Como o tempo não para, as marcas buscam patentes novas sempre, normalmente focadas no consumo mais baixo ou na segurança.

Mais comuns 

Os sensores de chuva e crepusculares já equipam carros compactos de baixo custo. Alguns outros têm, nesta mesma posição, poderosa câmera que funciona conjugada ao ultrassom para frenagens autônomas.

Os sensores de estacionamento ultrapassaram a função de alertar o motorista para assumirem a manobra através de uma central e de atuadores.

O Automatic Distant Control (ADC) e o Front Assist and City Emergency Braking usa um radar cujo sensor é montado na parte inferior da grade, e pode detectar a parada de carros à frente. Ao lado os avisos de fadiga e o de funcionamento do ADC.

Ford lidera nos registros de patentes

Neste campo, a Ford merece elogios, pois investe pesado e foi a maior patenteadora do ano passado. Não por acaso ela figura como única investidora na Campus Party (veja página 3) e nesta página, no inédito Gorilla Glass.

Foram 6 mil novas invenções, 36% a mais do que em 2014. Licenciou a direção por robôs em testes de carros, tecnologia de vestir as 'wearables', sensores para ciclistas e pedestres, entre outros. Entre os autônomos tem testado veículos sem motorista em campos congelados, plataformas de compartilhamento de viagens.

Na dinâmica tem conseguido estender a autonomia das baterias de híbridos e eletricos, o que poderá viabilizar esta tecnologia, com a abertura das patentes para as concorrentes.

Últimas de _legado_Automania