Por helio.almeida
Kerolly teve morte cerebral depois de ser baleada ao defender o pai durante brigaReprodução Internet

O pai da garota Kerolly Alves Lopes, de 11 anos, que morreu baleada por defendê-lo em um briga em Goiás, pode ser indiciado pela morte da filha, no dia 27 de abril, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. Sinomar Lopes não foi indiciado por homicídio doloso, mas disse que o Ministério Público pode denuncia-lo quando receber o inquérito, informou a delegada responsável pelo caso, Marcella Orçai.

A Polícia Civil concluiu nesta quinta-feira o inquérito que investigava a morte da menina. Na briga, o dono de uma pizzaria, George Araújo de Souza, fez dois disparos, atingindo Kerolly. Ele foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e tentativa de homicídio. A mulher de George também vai responder judicialmente, que entra na questão do favorecimento pessoal.
Publicidade
Kerolly ficou internada por 10 dias. O enterro da menina, que teve morte cerebral, aconteceu nesta quinta-feira, em um cemitério de Aparecida de Goiânia. A mãe de Kerolly, Mirian Coelho Alves criticou a atitude do pai dela durante o crime, chamando-o de irresponsável.
Você pode gostar