Por helio.almeida
O secretário de Segurança Pública de São Paulo (SSP), Fernando Grella, defendeu nesta quarta-feira a resolução editada no início do ano que restringe a remoção de vítimas de violência por policiais. Segundo Grella, a adoção da medida contribuiu para a redução em 40% do número de mortes em intervenções policiais.
“É um equívoco dizer que a resolução coloca a preservação do local do crime acima da vida das vítimas. A resolução, na verdade, contribui para a defesa da vida. Basta ver que desde da sua publicação, em 7 de janeiro, os homicídios entraram em processo de queda”, disse sobre a medida que obteve uma decisão judicial favorável à manutenção no começo da noite.
Publicidade
Uma liminar concedida suspendeu os efeitos da resolução da SSP. Em sua decisão o juiz Marcos Pimentel Tamassia, da 4ª Vara da Fazenda Pública Central, declarou que a norma vai contra o direito da inviolabilidade da vida e da preservação da saúde, previstos na Constituição Federal. Entendimento diferente do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador Ivan Sartori, que caçou hoje a liminar.