Por julia.amin
Publicado 28/05/2013 22:53 | Atualizado 28/05/2013 22:54

Brasília - O corpo da radialista Lana Micol Cirino Fonseca, coordenadora da Rádio Nacional do Alto Solimões, emissora da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), foi enterrado nesta terça-feira no Cemitério Parque Tarumã, em Manaus. Lana foi assassinada no início da noite de domingo (26), em frente à sua casa em Tabatinga (AM).

De acordo com relato de colegas da emissora, ela estava em um momento de lazer com a filha, de 7 anos, e o namorado, o sargento Alan Bonfim, quando duas pessoas chegaram em uma moto e efetuaram vários disparos. O sargento socorreu a radialista, mas ela chegou sem vida ao Hospital de Guarnição de Tabatinga.

Radialista assassinada no último domingoReprodução Internet


O ex-marido da radialista, Edimar Nogueira Ribeiro, é o principal suspeito de envolvimento no assassinato. De acordo com a delegada Fernanda Cavalcante da Costa, da Delegacia Especializada de Tabatinga, ele foi convocado para prestar depoimentos, mas está foragido desde domingo.

A delegada solicitou a prisão preventiva de Edimar. Em agosto do ano passado, Lana Micol já havia registrado um boletim de ocorrência na delegacia especializada. Na ocasião, ela informou que recebia ameaças de morte do ex-marido, que não aceitava o fim do casamento. Apesar de ter conseguido medida protetiva por causa das denúncias, Lana ainda recebeu ameaças por telefone este ano.

A radialista deixou dois filhos, uma menina, de 7 anos, e um garoto, de 11 anos. Segundo o gerente da Rádio Nacional da Amazônia, Bráulio Ribeiro, que participou do culto em homenagem à radialista, a despedida dos parentes e amigos ocorreu em clima de serenidade. Funcionários das rádios EBC em Brasília e no Rio de Janeiro também prestaram homenagens à colega.

Você pode gostar