Por helio.almeida
Publicado 31/05/2013 13:14 | Atualizado 31/05/2013 13:33

Porto Alegre - A CPI da Boate Kiss, que ajuda a esclarecer as irregularidades que resultou na moret de 242 pessoas no incêndio da casa noturna em Santa Maria (RS), quer ouvir nesta sexta-feira quatro pessoas na Câmara de Vereadores da cidade. Entre os convidados está Sergio Medeiros, secretário de Mobilidade Urbana na época da concessão do alvará. Também prestarão depoimento os fiscais do município Ricardo Garcia, Antonio Valdemar Silva e Elsa Prola.

Fachada da boate Kiss após o incêndioReprodução Internet

Os familiares das vítimas planejam uma nova caminhada em protesto na cidade, parando na Câmara de Vereadores. Eles se dizem inconformados com a decisão do Tribunal de Justiça de soltar os réus do processo. Na quinta-feira também foi realizada manifestação em Santa Maria. A decisão de conceder a eles liberdade provisória foi tomada por unanimidade entre os desembargadores da 1ª Câmara Criminal do TJ-RS, alegando ão representam riscos para o processo e para as vítimas.

O Ministério Público já confirmou que vai entrar com um recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) nos próximos dias para tentar reverter a liberdade provisória. Segundo os promotores Joel Dutra e Maurício Trevisan, de Santa Maria, o prazo para recorrer é de cinco dias. A data que o MP deve formalizar o recurso não foi divulgada.

Os réus são os sócios da casa noturna Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann e os integrantes da banda Gurizada Fandangueira, o vocalista Marcelo dos Santos e o produtor Luciano Bonilha Leão. A defesa trabalha pela responsabilização do prefeito Cezar Schirmer na tragédia.

Você pode gostar