Cadeirante morre após ser queimado por eletricista em São Paulo

Vítima e assassino discutiam na frente de um bar quando crime foi cometido

Por O Dia

São Paulo - Geraldo Evangelista de Almeida, de 42 anos, morreu depois de ter o corpo incendiado em Itapeva, no Interior de São Paulo. O cadeirante discutia com o eletricista Valmir Aparecido Alves, de 39 anos, em frente a um bar na Vila Aparecida, quando sofreu o ataque com gasolina. Ele chegou a ser internado na UTI do Centro de Tratamento de Queimaduras de Tatuapé, mas não resistiu.

O crime foi cometido no último dia 25. Após a discussão, o eletricista ainda foi até sua casa para buscar o combustível. Valmir retornou ao local, despejou a gasolina em Geraldo e ateou fogo. Um grupo de moradores usou um extintor de incêndio para tentar apagar o fogo. Ele foi levado para a Santa Casa com 75% do corpo queimado.

O acusado do crime chegou a ser detido, mas foi liberado enquanto a vítima ainda estava internada. O corpo de Geraldo vai ser sepultado em Itapeva. A polícia vai pedir a prisão preventiva para o autor do crime. Ele será indiciado por homicídio doloso. Segundo a polícia, suspeito e vítima tinham envolvimento com o tráfico de drogas local.

Últimas de _legado_Brasil