Por helio.almeida

São Paulo - Muçulmanos, umbandistas e católicos participaram nesta quinta-feira da comemoração pela redução das tarifas do transporte público pregando direitos humanos e dando visibilidade a causas sociais. A maioria dos manifestantes em São Paulo se reuniu na Avenida Paulista.

Religiosas em manifestaçãoiG

Sarah Ghuraba, 25, é mulçumana, atualmente desempregada e foi à manifestação com amigas para reclamar da dificuldade de encontrar uma colocação no mercado de trabalho e dos problemas sociais: "Vim protestar contra a deficiência na saúde, na educação, de toda essa corrupção que infecta o Brasil, e contra o preconceito que os muçulmanos sofrem ao buscar um emprego."

Já irmã Fátima, freira há 26 anos e que capitaneava um time de irmãs, afirmou: "Estou aqui porque sou brasileira, estou aqui pelo amor, para colocar para fora todo o medo."

A religiosa faz parte de um movimento chamado KOINONIA, organização ecumênica de direitos humanos e explicou: "Faço parte do serviço franciscano trabalhando na área da saúde com soropositivos. Estou aqui não só como uma figura católica, mas sim como uma representante da religião. Como eu, grupos umbandistas e de outras religiões estão por aí."

Você pode gostar