Pesquisadores mantidos reféns por índios são liberados no Pará

Técnicos coletavam amostras da fauna e flora para os estudos de viabilidade deusinas, que afetarão área ocupada pela etnia

Por O Dia

Pará - Os três pesquisadores que eram mantidos reféns por índios Munduruku, em Jacareacanga, sudoeste do Pará, foram liberados na noite deste domingo. O Governo Federal se comprometeu em suspender os estudos de impacto ambiental para a instalação de duas hidrelétricas na região. Com isso, os índios libertaram os biólogos. Os técnicos foram mantidos reféns desde a última sexta-feira.

Pesquisadores são libertos após serem mantidos reféns por indígenas no ParáReprodução Internet

Os três foram rendidos dentro da comunidade Rio das Tropas. Eles trabalham para uma empresa prestadora de serviço da Eletrobrás. Os pesquisadores ficaram reféns dos índios durante três dias. Os técnicos estariam coletando amostras da fauna e flora da região para os estudos ambientais e de viabilidade das usinas hidrelétricas do rio Tapajós, que afetarão o território da etnia.

Os Mundurukus são contrários a construção de hidrelétricas e exigem a suspensão de estudos de barragens no rio Tapajós e Teles Pires. Todo o equipamento usado por eles, como computadores, redes de pesca, máquinas fotográficas e armadilhas foram apreendidas pelos indígenas.

Em nota, a Eletrobrás informou que nenhum dos locais visitados pelos pesquisadores é terra indígena e que os índios apreenderam câmeras fotográficas e computadores com os registros da expedição e o material coletado pela equipe.

Últimas de _legado_Brasil