Por raphael.perucci

São Paulo - A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) confirmou na noite deste domingo a morte de dois presos em rebelião que explodiu na Penitenciária de Itirapina (SP), a 210 quilômetros de São Paulo. Segundo a SAP, 68 pessoas, entre homens, idosos, gestantes e crianças, foram mantidas reféns desde as 11h. Até o final da noite, policiais e a direção da penitenciária negociavam a liberação dos visitantes.

O presídio de Itirapina sofre do mesmo mal do sistema carcerário brasileiro: a superlotação. Com capacidade para 210 presos no regime fechado, abriga 602. Muitas viaturas da PM vieram de várias cidades para conter o conflito e até um helicóptero Águia foi acionado.

A mãe de um presidiário, que não quis ser identificada, disse que o incidente teve início quando uma visitante foi barrada na entrada. O marido dela, que está preso, começou a protestar contra a penitenciária e, então, os detentos não deixaram mais ninguém sair.

A mulher, que conseguiu sair antes que a confusão tomasse proporção maior, afirma que viu um preso carregando a cabeça de outro decapitado no local.

Você pode gostar