É grave estado de saúde de sobreviventes de acidente aéreo

Vítimas sofreram queimaduras em mais de 60% do corpo. Três pessoas morreram no desastre

Por O Dia

Brasília – O estado de saúde dos três sobreviventes do acidente aéreo ocorrido na manhã desta terça-feira, em Manaus, é considerado grave. De acordo com o segundo boletim médico, divulgado pela Agência de Comunicação do Governo do Amazonas (Agecom), os três pacientes estão em coma induzido. Eles sofreram queimaduras em mais de 60% do corpo.

Os feridos foram encaminhados para o Hospital Estadual 28 de Agosto, no bairro Adrianópolis, na área do centro-sul da capital amazonense. Três pessoas morreram no acidente.

Entre as vítimas, Adonay Campos, de 43 anos, tem queimaduras em cerca de 60% do corpo; Vanessa Guedes Aguiar, de 32 anos, apresenta queimaduras em 65% do corpo. O caso mais grave é o de Edson Oliveira Pavão, de 30 anos, com queimaduras em 90% do corpo.

De acordo com o chefe de investigação do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa-7), capitão Felipe de Figueiredo, ainda não se sabe quais são os motivos que levaram à queda do avião. “Já recolhemos os motores e iniciamos uma diligência para verificar os documentos da aeronave para saber se estava tudo em ordem. Em geral, nos acidentes de aviação não existe uma causa específica. Fatores como manutenção, climáticos e o julgamento do piloto podem concorrer para um acidente. Vamos examinar todos os fatores”, disse.
"Inclusive entramos com o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) para saber se o piloto chegou a relatar algum problema com a aeronave antes da queda", completouo capitão.

O Seripa-7 é responsável pelo acompanhamento do planejamento, gerenciamento e execução das atividades de voo nos estados de Rondônia, de Roraima, do Acre e Amazonas. Segundo Figueiredo, com o acidente de hoje, o Seripa-7 já registrou, este ano, 12 acidentes na região, com sete mortes. Em 2012, foram nove acidentes.

Últimas de _legado_Brasil