Por tamyres.matos
Petista falou que são boatos os comentários de que seu câncer voltouMurillo Constantino / Agência O Dia

São Paulo - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não só apoia os protestos populares. Lula acha que as manifestações podem, inclusive, levar um brasileiro ou brasileira ao posto mais alto do país. “Viva o protesto. De protesto em protesto a gente vai consertando o telhado. De protesto em protesto, um dia vocês vão chegar à Presidência da República”, disse o ex-presidente nesta quinta-feira em palestra na Universidade Federal do ABC (UFABC), em São Bernardo do Campo (SP).

Lula também fez um apelo para que os jovens não neguem a política. E foi enfático: “Quando vocês estiverem p... da vida, mas p... Que vocês não confiem em ninguém — ‘não gosto do Lula’, ‘não gosto da Dilma’, ‘não gosto do (Luiz) Marinho (prefeito de São Bernardo do Campo, do PT)’, ‘não gosto não sei de quem, ainda assim’, não neguem a política. E muito menos neguem os partidos. Vocês podem fazer outros”, disse o ex-presidente, que emendou: “Não existe nenhuma experiência no mundo em que a negação da política teve resultado melhor do que a podridão da política”.

O ex-presidente também falou de sua saúde: “Tem muito boato de que eu estou com metástase. Eu fui visitar o Marcelo Déda, que é governador de Sergipe, que está com câncer e, aí, disseram que eu vou ao Hospital Sírio-Libanês de madrugada fazer tratamento e que eu estou indo escondido.” Lula foi diagnosticado com câncer na laringe em 2011, tratou-se e hoje garante que a doença não voltou.

Sobre 2014, o petista disse que não vai se candidatar: “Eu elimino (a possibilidade) porque tenho candidata a presidente”, disse, referindo-se à presidenta Dilma Rousseff.

Você pode gostar