Por bferreira

Brasília - O Conselho Federal de Medicina (CFM) entrou com ação civil pública pedindo a suspensão do ‘Programa Mais Médicos’. Com 20 páginas, o processo contra a União foi protocolado na noite da última sexta-feira e distribuído hoje a uma das varas da Justiça Federal. A entidade garantiu que outras ações serão apresentadas nos próximos dias.

O CFM pede que os conselhos regionais de Medicina (CRM) não sejam obrigados a fazer o registro de médicos estrangeiros que aderirem ao programa sem comprovar com documentos que revalidaram diplomas emitidos por universidades do exterior e também o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros até que o assunto seja analisado pelo Judiciário.

O CFM argumenta que o programa criará duas categorias de profissionais no país: uma que pode exercer a medicina livremente em todo o território nacional e outra composta pelos inscritos, que terão o exercício profissional limitado a certa região.

O Mais Médicos prevê contratação de médicos estrangeiros para trabalhar nas periferias e no interior e estágio obrigatório de dois anos no SUS para alunos que entrarem no curso de medicina a partir de 2015.

Você pode gostar