Por julia.amin

São Paulo - Protesto contra o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, interdita neste momento a avenida 23 de maio, no sentido Aeroporto, próximo à rua Asdrubal do Nascimento, na zona central da capital paulista.

A manifestação começou perto da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá. Além de pedirem a renúncia de Alckmin, o grupo exibe faixas em que cobram resposta sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo Dias de Souza, de 47 anos.

Caso Amarildo

Amarildo foi levado na viatura 6014 até à sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, no último dia 14 de julho. Desde então, está desaparecido. Peritos encontraram sangue no porta-malas e no banco de trás do carro. Os primeiros exames confirmaram que o material no banco era de homem, mas não foi possível identificar a origem do que estava no porta-malas.

Imagens gravadas por câmeras de segurança mostraram o pedreiro no carro com a identificação 6014 e depois entrando na sede da UPP. A partir daí, ele não foi mais visto. Os policiais alegam que o liberaram, mas não há nenhum registro de sua saída da unidade.

Você pode gostar