Por bferreira

Rio - O deputado Geraldo Pudim (PR) protocolou ontem na Alerj o pedido de abertura de processo por crime de responsabilidade do governador Sérgio Cabral. Na próxima semana, a mesa diretora decide a abertura ou não da investigação e o possível afastamento (impeachment) de Cabral. A denúncia diz que o governador feriu a conduta ética ao usar os helicópteros do governo do Estado em passeios particulares da família e de empregados e tenta seguir o padrão jurídico do que resultou na saída de Fernando Collor de Mello da Presidência.

Fiel escudeiro do deputado Anthony Garotinho — candidato à sucessão e interessado no desgaste de Cabral —, Pudim crê que a Mesa Diretora da Alerj vai aceitar a denúncia e levar ao plenário a decisão de abertura do processo. O deputado já começou a contar de onde sairão os dois terços dos parlamentares exigidos para instaurar a comissão de investigação e decretar o afastamento de Cabral.

No documento, o parlamentar pede que os deputados escutem os pilotos e o comandante de Operações Aéreas da Subsecretaria Militar, além dos funcionários e o cabeleireiro da primeira-dama Adriana Ancelmo. A ideia é confirmar que a aeronave era usada em deslocamentos particulares, configurando o crime de responsabilidade.

Você pode gostar