Evo Morales critica Justiça do seu país por prisão de brasileiros

Presidente boliviano condenou decisão de manter detidos por cinco meses, sem provas, torcedores corintianos pela morte de menino

Por O Dia

São Paulo - O presidente da Bolívia, Evo Morales, criticou neste domingo, em São Paulo, a Justiça de seu país, que manteve, sem provas, cinco torcedores corintianos presos pela morte de um menino de 14 anos em um jogo de futebol em Oruro em fevereiro.

Evo lê Sérgio Buarque de Hollanda ‘em frente’ a Bolívar e a ChávezEfe

“Informaram-me: ‘são 11 de uma vez, 11 atentaram contra a vida de um torcedor do San José’. O que está acontecendo com a Justiça boliviana? Se tem que acusar, que acusasse um, não 11. Quando fui informado, achei que tivessem sido detidos não na rua, mas no estádio”, disse Evo, depois de discurso no encerramento do 19º Encontro do Foro de São Paulo, que reuniu partidos de esquerda da América Latina. Ao todo, foram 11 corintianos presos sob suspeita de matar Kevin Espada, com um sinalizador.

Um torcedor brasileiro de 17 anos acabou admitindo que usou o sinalizador, e a Justiça boliviana ainda vai decidir o que fazer. Os cinco que permaneceram presos foram libertados na sexta-feira e chegaram a São Paulo no sábado.

Evo fez questão de dizer que não intercedeu porque não poderia questionar uma decisão da Justiça: “Há a separação de poderes.”

No sábado, o boliviano aproveitou a passagem por São Paulo para se encontrar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os dois conversaram sobre a criação de um conselho e de comissões para dar apoio aos governos de esquerda da América Latina.

Últimas de _legado_Brasil