Por tamyres.matos

Rio - Wagner Montes (PSD) tem planos de ir a São Paulo esta semana para dizer, oficialmente, ao presidente nacional de seu partido, Gilberto Kassab, que está querendo sentar praça num partido que o deixe continuar a votar sem ter que obedecer a bancada e ser candidato em 2014 ao que lhe der na telha, o que inclui, principalmente, a senador. Também vai dizer que aceitaria, como ele diz, “de bom grado” ser presidente regional do partido em que estiver depois de 5 de outubro — data-limite para os políticos que querem se candidatar ano que vem decidirem em que legenda ficarão. Só aí, Wagner Montes já vai levar na mala dois problemas.

Wagner Montes se envolve em 'disputa involuntária' com Índio da Costa pela presidência regional do PSDNei Lima / Agência O Dia

O posto de queridão do PSD no Rio já tem dono, que é Arolde de Oliveira — este, sim, é o cara que pode fazer quase o que bem entender em 2014. E, quanto à presidência regional do PSD, o ocupante do cargo é Indio da Costa, homem de prestígio no partido que ele arregaçou as mangas para fundar no Rio. Fui nele, mas Indio não caiu na pilha de Wagner e preferiu a linha sou-chique-e-nem-sei: “Não faço questão de ser presidente. Só que isso é uma decisão do diretório.”

Indio também explicou que Arolde não é a pedra no caminho de Wagner. A questão é que o PSD só vai ter candidato ao Senado se o governador Sérgio Cabral não quiser entrar na disputa. Aí, sim, Indio afirma, Wagner poderia ser a opção. O único ‘probleminha’ é que essa conta só vai fechar ano que vem e Wagner diz que vai resolver a vida até dia 30.

E SE?...

Se a conversa com Kassab e Wagner acabar no clima ‘já está chegando a hora de ir...’, Wagner Montes já está de mala e cuia prontas para partir, com seus mais de 500 mil votos, provavelmente, para o PRB. Embora o próprio Wagner garanta, docemente, que não “está certo p... nenhuma”, o PRB é a legenda com mais chance de recebê-lo.

Só para lembrar: o senador que foi eleito pelo partido em 2010, Marcelo Crivella, hoje é ministro (da Pesca e Aquicultura) e tem dito que quer se candidatar a governador do Rio, o que seria um excelente cenário para um novo nome para o Senado.

Mas isso é só o que eu acho. Wagner Montes conta que está conversando com quem lhe procura, o que inclui PT e PR. Ah, antes que eu me esqueça: Wagner vai procurar o senador Francisco Dornelles (PP) nos próximos dias para ir tirando umas dúvidas sobre como é o trabalho no Senado, etc, etc, etc.

AVISO

Preciso informar que, se for o caso de ter que “esquentar a caldeira do capiroto”, como diz Wagner na TV, por conta da charge, a vaga é do companheiro Nei Lima, que, aliás, está saindo de férias e me deixando aqui no sufoco um mês. Ô, raça!

Você pode gostar