Por helio.almeida

Brasília - O ministro da Justiça Eduardo Cardozo afirmou nesta segunda-feira que é inadmissível a denúncia de espionagem por parte dos Estados Unidos. Cardozo esteve ao lado do ministro de Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, durante coletiva de imprensa em Brasília, e reforçaram o pedido de desculpas que o país espera do governo norte-americano.

Ministros da Justiça e de Relações ExterioresReuters

"Vamos aguardar a posição dos EUA, formal e por escrito", disse Cardozo. "Cabe a cada governo cuidar da sobreria de seu pais", enfatizou, dizendo que o governo vai trabalhar para a regulamentação do sigilo de dados, para que casos como o ocorrido como Brasil se repita, e que a articulação pode ser feita pelos BRICS, o bloco de países emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A presidenta Dilma convocou os ministros para discutir o encaminhamento do caso. O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, reuniu-se na manhã desta segunda-feira com o embaixador dos Estados Unidos, Thomas Shannon.

O encontro ocorre após as denúncias de que a Agência Nacional de Segurança Americana (NSA, na sigla em inglês) teria espionado a presidente Dilma Rousseff e seus principais assessores. Até o momento, o Itamaraty e a embaixada não comentaram o teor do encontro.

Você pode gostar