Suspeito de matar menino boliviano é encontrado morto em São Paulo

Suspeito morreu uma semana depois da morte da criança, que foi morta porque começou a chorar durante assalto do bando

Por O Dia

São Paulo - Um terceiro suspeito da morte do menino boliviano Brayan Capcha, assassinado a tiros em São Paulo nos braços de sua mãe durante um assalto em junho, foi encontrado morto em um bairro da periferia da cidade, informaram nesta quarta-feira as autoridades.

O suspeito, Wesley Soares Pedroso, de 19 anos, morreu com um tiro na cabeça em 7 de julho, uma semana depois da morte do menino imigrante, mas até agora as autoridades não tinham confirmado sua identidade, segundo a Polícia Civil. Pedroso era considerado foragido pelas autoridades.

Foto de Wesley, acusado de atirar na criançaReprodução Internet

Em agosto, dois dos três detidos pela morte da criança foram achados sem vida na cadeia, envenenados com uma combinação letal de álcool, cocaína, viagra e outros remédios, em uma mistura chamada de "coquetel da morte".

Paulo Ricardo Martins e Felipe dos Santos Lima, que permaneciam em um presídio de Santo André, foram achados mortos na cela.

Segundo as autoridades, Martins e Lima tinham participado em 28 de junho do assalto à residência da família do menino assassinado, que foi baleado nos braços de sua mãe porque "chorava demais", segundo disseram seus pais.

A família do menino estava há pouco tempo no Brasil, tinha chegado em São Paulo para trabalhar na indústria de confecção e após a morte da criança, decidiu retornar para Bolívia.

Um menor de idade, acusado de participar do assalto, está detido e outro suspeito, de nome Diego Campos da Rocha, de 20 anos e apontado por seus cúmplices como o autor material do disparo que matou o menor, está foragido da Justiça.

Últimas de _legado_Brasil