Em São Paulo, quase 30 mil bancários aderiram à greve

Está marcada para a tarde de terça-feira uma passeata na Avenida Paulista

Por O Dia

São Paulo – Balanço divulgado nesta segunda-feira pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região estima que 29 mil trabalhadores tenham aderido à greve inciada na última quinta-feira. Segundo o sindicato, o movimento afeta 648 locais de trabalho, sendo 16 centros administrativos e 632 agências. A categoria rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 6,1%, sem aumento real. Eles reivindicam reajuste de 11,93% (5% de aumento além da inflação do período).

Na avaliação da presidenta do sindicato, Juvandia Moreira, a paralisação está ganhando adesões. “Os bancários estão revoltados com a posição dos bancos de colocar só a reposição da inflação. É um setor rico, que lucra bastante”, ressaltou ao destacar que funcionários de diversos setores, como a área de tecnologia, estão aderindo à greve.

No final da tarde desta segunda foi feita uma assembleia, em que foram discutidos os rumos do movimento. Está marcada para a tarde de terça uma passeata na Avenida Paulista, região central da capital.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) informou, por meio de nota, que não há nenhuma negociação marcada com o sindicato. “A entidade aguarda posição do sindicato sobre a proposta global contendo reajuste salarial de 6,1%, que corrigirá salários, pisos e benefícios. Será mantida a mesma fórmula de participação nos lucros, com correção dos valores fixos e de tetos em 6,1%”, diz o comunicado da Fenaban.

Últimas de _legado_Brasil