Barbosa critica influência política no Judiciário: ‘Deixa o juiz em paz’

Presidente do STF diz que falta no Brasil mecanismo para que o juiz possa ascender sem precisar 'sair com um pires na mão'

Por O Dia

São Paulo - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, criticou nesta segunda-feira a falta de um mecanismo no País que possibilite ao juiz ascender na carreira sem precisar “sair com um pires na mão”, ou seja, se submeter à influência das indicações políticas.

Em evento em SP Barbosa disse desconfiar de um juiz que “vive tendo relações políticas aqui e ali” Murillo Constantino / Agência O Dia


“É um fenômeno muito pernicioso a influência política. Não há mecanismos que criem um automatismo. (...) Deixa o juiz em paz”, disse Barbosa em seminário promovido pela revista Exame, em São Paulo. O ministro disse ainda que “só não aplica a lei o juiz que é medroso, comprometido ou politicamente engajado”.

Ainda sobre a independência dos juízes, Barbosa disse desconfiar de um juiz que “vive tendo relações políticas aqui e ali”. “Mas infelizmente nosso sistema permite isso. Você jamais vai querer ter o seu patrimônio e sua vida nas mãos de um juiz com essas características”, afirmou o presidente do Supremo.

A jornalistas, Barbosa se recusou a comentar a declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao Correio Braziliense, Lula afirmou que se fosse hoje, teria mais critério para selecionar ministros do STF. “Ele foi presidente da República, eu não sou presidente da República e não tenho nenhum papel na escolha dos ministros do Supremo”. Barbosa foi um dos quatro ministros indicados por Lula.

Últimas de _legado_Brasil