Por joyce.caetano

São Paulo - O governo do Estado de São Paulo recuou da decisão tomada em junho deste ano de não mais usar balas de borracha para reprimir manifestações no Estado. A decisão foi anunciada nesta terça-feira pelo secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira.

O secretário participou hoje de uma reunião com o procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Fernando Elias Rosa, para tratar da força-tarefa de segurança que será montada para atuar em manifestações.

Segundo Grella, esse grupo será criado para reprimir "baderneiros". O encontro reuniu oficiais da Polícia Militar, delegados e promotores, no auditório do Fórum Criminal da Barra Funda, com missão de "impedir que uma minoria de baderneiros atrapalhe o direito de manifestação".

A proibição do uso de balas de borracha havia sido anunciada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, após manifestantes e jornalistas ficarem feridos durante as manifestações ocorridas em junho . No confronto, policiais foram acusados de disparar balas de borracha a esmo contra a população no centro da capital.

Você pode gostar