Por bferreira

São Paulo - O apostador da cidade de Mauá, que levou sozinho o prêmio de R$ 80.499.108,16 milhões do concurso 1.545 da Mega-Sena, é homem e funcionário de uma fábrica do ABC paulista. O sortudo se apresentou apresentou ontem a uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de São Bernardo do Campo para pegar o dinheiro. Ele foi uma das pessoas que fizeram as 13 mil apostas autenticadas nos guichês da Lotérica Castelo, que fica no bairro Jardim Zaira, um dos mais pobres de Mauá.

Se resolvesse aplicar a bolada de R$ 80,5 milhões na Caderneta de Poupança, por exemplo, ele ganharia R$ 18.800 por dia, o que representa seis vezes o salário médio que ganha um metalúrgico do ABC por mês, que é de R$ 3 mil.

Um dos proprietários da lotérica, Gennison Pimentel, 35 anos, afirmou que soube na noite do sorteio, quarta-feira, que o vencedor era de Mauá, mas só ontem de manhã a CEF avisou que o jogo tinha sido feito na Castelo. “O gerente da CEF nos ligou cedo, por volta de 9 horas. Vamos fazer uma faixa para colocar na frente da casa. É um marketing voluntário e isso ajuda muito. Somos novos no ramo, abrimos a lotérica há um ano e meio. Acho que isso vai ajudar a tornar a casa mais conhecida”, disse.

Nos bares de Mauá não se fala de outra coisa. Todos querem conhecer o novo milionário da cidade que ainda não deu as caras.

Você pode gostar