Condenado no Mensalão, Henrique Pizzolato está na Itália

Onze condenados já se entregaram. Ex-diretor do Banco do Brasil, que tem cidadania italiana, vai apelar por um novo julgamento na Europa

Por O Dia

Procurado pela PF, Pizzolato está na ItáliaAgência Brasil

Rio - Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil e condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do Mensalão, fugiu para a Itália. Nesta sexta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) expediu mandado de prisão contra ele e mais 11 condenados. Todos os outros já se entregaram. O último deles foi o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, que se entregou por volta das 11h15 na sede da Polícia Federal em Brasília.

Marthius Sávio Cavalcante Lobato, advogado de Pizzolato, ligou para o delegado Marcelo Nogueira, da Polícia Federal, no fim da manhã deste sábado e disse que foi à casa de seu cliente, em Copacabana, na Zona Sul. No local, ele disse que foi informado por parentes que o ex-diretor do BB tinha viajado para a Itália.

Segundo Lobato, Pizzolato, que tem cidadania italiana, vai apelar por um novo julgamento na Europa. De acordo com o delegado Marcelo Nogueira, o Ministério da Justiça deverá entrar com um pedido formal de extradição junto à Itália.

Em nota divulgada pela defesa neste sábado, o ex-diretor afirmou que "por não vislumbrar a mínima chance de ter um julgamento afastado de motivações político eleitorais", decidiu ser julgado na Itália, onde o Tribunal "não se submete às imposições da mídia empresarial, como está consagrado no tratado de estradição Brasil e Itália".

O ex-diretor do BB foi condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato por ter facilitado o pagamento fraudulento de contratos de publicidade feitos entre a DNA Propaganda, de Marcos Valério, e o Banco do Brasil.

José Dirceu se entregou à Polícia Federal em São Paulo nesta sextaEstadão Conteúdo

A sede da Polícia Federal em São Paulo já preparou a estrutura para transferir, neste sábado, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu para o Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da capital. De lá, os dois condenados pelo processo do mensalão seguirão para Brasília em um jatinho da PF. Uma vez em Brasília, os réus passarão por exame de corpo de delito e ficarão sob custódia da Polícia Federal.

Em seguida, o juiz de execuções penais deverá expedir o documento para que cada um cumpra sua respectiva pena de prisão, respeitando-se o tipo de regime (fechado, semiaberto, aberto), o Estado de origem do réu e a comarca. Genoino e Dirceu se entregaram à sede da PF nesta sexta-feira, pouco após a expedição dos mandados de prisão contra 12 condenados no processo pelo relator da ação penal, Joaquim Barbosa.

José Genoino foi o primeiro condenado a se entregarEstadão Conteúdo

Ambos receberam um telefonema de apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os dois passaram a noite na carceragem da PF, localizada no terceiro andar do prédio. Por volta das 8h, foi servido café da manhã aos condenados, com pão com manteiga, café e frutas. Na sexta, Dirceu, condenado a 10 anos e 10 meses de prisão por envolvimento no mensalão, divulgou uma "carta aberta ao povo brasileiro", em que diz que é inocente e que foi condenado sem provas. Genoino também divulgou nota, reiterou ser inocente e disse considerar-se um "preso político".

Com informações do iG

Últimas de _legado_Brasil