Por bianca.lobianco

Brasília – O ex-presidente do PT e deputado federal José Genoino (SP) desistiu do pedido feito ao Supremo Tribunal Federal (STF) a fim de ser transferido para São Paulo. Na petição enviada nesta quarta-feira ao Supremo, a defesa diz que Genoino “aceita cumprir a pena no Distrito Federal”, se o presidente do STF, Joaquim Barbosa, determinar que ele volte para Penitenciaria da Papuda. O deputado está cumprindo prisão domiciliar temporária desde quinta-feira.

José Genoino tem pedido de aposentadoria negado pela junta médica da CâmaraEstadão Conteúdo

Condenado a cumprir pena de quatro anos e oito meses de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão, o parlamentar apresentou-se à Polícia Federal, na capital paulista, na sexta-feira, mas foi transferido para Brasília com os outros réus que tiveram as prisões decretadas por Joaquim Barbosa.

Uma junta médica do Hospital Universitário de Brasília, formada para avaliar o estado de saúde do deputado José Genoino (PT-SP), concluiu nesta terça-feira que ele é portador de cardiopatia “que não se caracteriza como grave”. O laudo foi entregue a Barbosa. Com base no documento, o presidente do STF vai decidir se Genoino vai permanecer em prisão domiciliar temporária ou voltará para o Presídio da Papuda.
Publicidade
De acordo com advogados do parlamentar, se a prisão domiciliar for mantida por Barbosa, Genoino prefere cumprir a pena em São Paulo, onde mora. Se a decisão determinar que ele deve voltar para Penitenciária da Papuda, ele quer cumprir a pena no Distrito Federal e não pedirá transferência.
“Na inimaginável hipótese de que venha a ser o requerente recambiado ao regime semiaberto, requer-se a desistência dos pedidos formulados para fosse transferido para instituição penitenciária adequada no estado de São Paulo, tendo em vista que aceita cumprir e pena privativa de liberdade no Distrito Federal”,diz a defesa do deputado. 
Publicidade
Pedido de aposentadoria negado
Também nesta quarta-feira o pedido de aposentadoria por invalidez do deputado licenciado José Genoino (PT-SP) foi negado por integrantes da junta médica da Câmara. Eles alegaram que ainda não há elementos suficientes para que seja apresentado um laudo conclusivo. O grupo composto por quatro servidores do Departamento Médico da Casa afirma que só poderá decidir a aposentadoria em meados de fevereiro do ano que vem.
Publicidade

Você pode gostar