Por julia.amin
São Paulo - O Memorial da America Latina foi atingido por um incêndio no início da tarde desta sexta-feira, no bairro da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. O Memorial fica na avenida Auro Soares de Moura Andrade, número 664. O fogo está sendo controlado e as sausas ainda são desconhecidas.
Durante o combate às chamas, no entanto, nove bombeiros ficaram feridos durante o combate às chamas, sendo oito da Polícia Militar e um que trabalhava para o memorial. De acordo com informações da PM, dois deles estão em estado grave. Eles foram atendidos pela ambulância de resgate do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e levados ao Hospital das Clínicas.
Publicidade
De acordo com a assessoria de imprensa do memorial, o incêndio começou na plateia B do auditório Símon Bolívar. Alguns funcionários estavam no local quando as chamas começaram, mas todos teriam conseguido sair. Há suspeitas de que um curto-circuito pode ter começado o fogo. A principal preocupação dos funcionários é com o acervo de obras de arte da instituição.
Ao todo, 37 viaturas e 100 homens da corporação foram deslocados para combater as chamas. O incêndio foi registrado pela corporação às 14h56. Logo após o relato do caso, os bombeiros citaram que havia "muito fogo" dentro do memorial.
Publicidade
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) pediu aos motoristas que evitem circular pela região do memoral já que o cruzamento da avenida Senador Auro Soares de Moura Andrade com a Alameda Olga está bloqueado. O desvio para quem vai no sentido Lapa é feito pela alameda Olga, rua Tagipuru e avenida Francisco Matarazzo. Agentes de trânsito da CET estão no local orientando os usuários.
Até as 17h, a informação é de que o incêndio não altera o funcionamento da estação Barra Funda, da Linha 3-Vermelha do Metrô, nem as linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
Bombeiros estão no local e tentam conter o fogoReprodução TV

O memorial

Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Memorial da América Latina foi inaugurado em 18 de março de 1989 e nasceu com o objetivo de estreitar as relações culturais, políticas, econômicas e sociais do Brasil com os demais países da América Latina. Por isso, desde então, o memorial difunde a história dos povos latino-americanos às novas gerações de estudantes, além de incentivar e coordenar iniciativas de instituições científicas, artísticas e educacionais do Brasil e de outros países ibero-americanos.