Por bferreira

Brasília - O Ministério da Justiça anunciou ontem a criação de um grupo de inteligência integrado pela Polícia Federal e pelas secretarias de Segurança do Rio e de São Paulo para conter a violência em protestos de rua nas duas capitais.

Entre as estratégias, ficou definido que as polícias dos dois estados terão uma forma única de ação durante as manifestações. “Haverá protocolo comum das polícias, como necessidade daqueles que vão organizar manifestações informarem trajeto para ter proteção policial na manifestação”, adiantou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Participaram do encontro os secretários de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, e de São Paulo, Fernando Grella, além do diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello.

O ministro Cardozo afirmou que as atividades de inteligência serão destinadas a “coibir abusos e garantir liberdade de manifestação”. Segundo ele, não haverá “acompanhamento” das ações de movimentos sociais.

“Não se trata de maneira alguma de acompanhamento de movimentos sociais, porque isso é atividade ilícita e não tem por quê. Mas planejamento em relação a pessoas que têm se organizado com claro propósito de infringir a lei”, disse. Cardozo disse que o governo federal e os estados já compartilham informações de inteligência, e a intenção é ampliar a parceria.

Você pode gostar