Por julia.amin

Brasília - Uma manifestante foi retirada do plenário em que a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados realiza audiência sobre o aborto. Ela protestava a favor dos direitos da mulher.


Enquanto a representante do Ministério da Saúde discursava, uma manifestante jogou tinta vermelha sobre o próprio corpo e começou um protesto. A mulher foi abordada por um agente da Polícia Legislativa que a retirou a força.

Antes de sair, ela gritou palavras contra o presidente da comissão, pastor Marco Feliciano (PSC-SP). "O estado é laico, o corpo é nosso. Fora Feliciano", disse Thereza enquanto era carregada pelo agente.

Você pode gostar