Por helio.almeida

Brasília – O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu nesta quinta-feira ação penal, com base também na Lei Maria da Penha, envolvendo o deputado federal Arthur Lira (PP-AL) por lesão corporal contra ex-mulher. Por maioria de votos, os ministros entenderam que as acusações apresentadas pelo Ministério Público Federal são suficientes para abertura da ação.

De acordo com informações do processo, Arthur Lira foi à casa da ex-mulher, Jullyene Lins, e a agrediu fisicamente, com chutes e tapas durante 40 minutos. Os fatos ocorreram em 2006, sete meses após o fim do relacionamento, e foram presenciados pela babá de um dos filhos da vítima.

Em defesa enviada ao STF, o deputado negou as acusações e disse que o laudo do exame de corpo de delito não comprovou os fatos. “Jamais o acusado praticou qualquer ato de violência contra sua mulher. As acusações formuladas pela suposta vítima foram realizadas em momento de extrema tensão entre o casal e, certamente, tinham por objetivo atingi-lo em razão da disputa pelo patrimônio e guarda de filho comum”, argumentou a defesa.

Você pode gostar