Por helio.almeida
Publicado 10/12/2013 12:09 | Atualizado 10/12/2013 16:32

Johanesburgo - A presidenta Dilma Rousseff discursou nesta terça-feira, durante cerimônia ecumênica em homenagem a Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul, falecido na última quinta-feira, aos 95 anos, vítima de complicações pulmonares. A líder do Executivo brasileiro, muito aplaudida pelo público, ressaltou a importância política de Mandela no cenário internacional.

>>> GALERIA DE FOTOS: Confira imagens do adeus a Mandela

Dilma durante cerimônia ecumênicaDivulgação

"Expresso minhas condolências pela perda inestimável de Nelson Mandela, que conduziu com paixão e inteligência o processo de emancipação da história moderna. O combate de Mandela se tornou um paradigma para todos os povos que brigam pela justiça e pela igualdade. Pela histórica paciência que ficou no cárcere. Grande líder que faz parte do panteão da humanidade. Viva Mandela para sempre".

>>> Confira o perfil do líder antiapartheit

O tributo ao primeiro presidente negro da África do Sul e líder da luta contra a segregação racial no país acontece no estádio de Soweto, em Johanesburgo, e começou às 11h, horário local (7h, horário de Brasília). O ex-presidente da África do Sul será enterrado no dia 15 de dezembro.

Foram confirmadas as presenças de mais de 90 chefes de Estado. Além de Dilma, discursam os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, de Cuba, Raúl Castro, da Namíbia, Hifikepunye Pohamba, e da Índia, Pranab Mukherjee, além do vice-presidente chinês, Li Yuanchao. Dilma foi a única representante da América do Sul a se pronunciar publicamente durante a cerimônia.

>>> GALERIA DE FOTOS: Mandela, herói da liberdade

Dilma embarcou, no início da atrde desta segunda-feira, rumo à África do Sul, acompanhada dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor de Mello e José Sarney. 

Obama%3A 'Ele entendeu que ideias não podiam ser extintas pela prisão ou por balas de um atirador'Reuters

Pouco antes do embarque, a presidenta escreveu em sua conta no microblog Twitter que “o Estado brasileiro se une para honrar Mandela” e que “é uma honra reunir todos os ex-presidentes em um objetivo comum”. A presidenta disse ainda que a atividade conjunta é uma demonstração de que “as eventuais divergências no dia a dia não contaminam as posições do Estado brasileiro”.

Obama: 'Mandela foi um gigante'

Após discursar cerca de vinte minutos em homenagem ao líder sul-africano, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi bastante aplaudido. Obama citou frases de Mandela em diversos momentos do tributo e disse que o ex-presidente da África do Sul foi “um gigante da história.”

Obama agradeceu o povo da África do Sul por compartilhar Mandela com o mundo. “A luta dele, foi sua luta. O triunfo dele, foi seu triunfo. Sua dignidade e sua esperança encontraram expressão na vida dele e na luta pela democracia”, disse aos participantes.

De acordo com o presidente dos EUA, Nelson Mandela foi o último libertador do século 20. Ele comparou o sul-africano ao líder indiano Mahatma Ghandi e ao ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln – que, segundo ele, mantiveram os respectivos países unidos em um contexto de separação. “Ele compartilhou conosco suas falhas. Disse que não era um 'santo, mas um pecador que continuava tentando'”, discursou Obama, citando as palavras de Mandela.

Obama mencionou ainda o valor que Nelson Mandela deu à razão, à argumentação e às ações. “Ele entendeu que ideias não podiam ser extintas pelas paredes de uma prisão ou por balas de um atirador. Ele se condicionou, treinou para ser um defensor, afiou seus argumentos e disseminou seu ímpeto por conhecimento. Ele demonstrou que ideais sem ação não são suficientes”, disse.

Para ele o trabalho de Nelson Mandela, não chegou ao fim. O presidente pediu aos jovens que ajam em nome da paz. “Nós podemos fazer da vida dele, a nossa. Há 30 anos, Mandela me inspirou. Ele me fez querer ser um homem melhor.”

Você pode gostar