Por helio.almeida
Pernambuco - O secretário de Defesa Social de Pernambuco, Wilson Damázio, deixou o cargo na noite desta quinta-feira, após declarações polêmicas dadas durante uma entrevista a um jornal. Perguntado sobre as denúncias de abusos sexuais praticados por policiais, o secretário disse que “mulher gosta de farda” e que “desvio de conduta tem em todo lugar”, dando como exemplo gays e ladrões.
“Desvio de conduta a gente tem em todo lugar. Tem na casa da gente, tem um irmão que é homossexual, tem outro que é ladrão, entendeu? Lógico que a homossexualidade não quer dizer bandidagem, mas foge ao padrão de comportamento da família brasileira tradicional. Então, em todo lugar tem alguma coisa errada. E a polícia, né? A linha em que a polícia anda, ela é muito tênue, não é?”, afirmou o secretário ao “Jornal do Commercio”.
Secretário disse que declarações não representam seu pensamentoReprodução Internet

Em outro momento da entrevista, o secretário, que tem mais de 30 anos de carreira nas polícias Civil e Federal, disse que "todo policial militar mais antigo tem duas famílias, tem uma amante, duas".

Publicidade
"Eu sou policial federal, feio para c..., a gente ia para Floresta (cidade do sertão) para esses lugares. Quando chegávamos lá, colocávamos o colete, as meninas ficavam tudo (sic) sassaricadas. Às vezes tinham namorado, às vezes eram mulheres casadas. Para ela é o máximo tá (sic) dando para um policial. Dentro da viatura, então, o fetiche vai lá em cima, é coisa de doido”, disse.
As declarações foram criticadas por entidades da sociedade civil e da oposição. O OmbudsPE, observatório da mídia do Centro de Cultura Luiz Freire, em Olinda, publicou nota criticando o secretário. “O machismo institucional impregnado nas palavras do secretário é o mesmo que está presente na atuação da polícia. Assim, é conivente e legitima estupros, espancamentos e abusos cometidos por policiais”.
Publicidade
Líder da oposição, o deputado estadual Daniel Coelho (PSDB) classificou a entrevista como “quase inacreditável” e cobrou um pedido de desculpas. “Uma pérola de puro besteirol e desrespeito', disse.
Em nota em que anunciou a saída do governo, Damázio disse que as declarações não representam seu “pensamento nem visão do mundo”. Disse que falou “em tom de brincadeira de conversações informais”, durante intervalos da entrevista, e reconhece o uso de termos “inapropriados e inadequados”. O governado de Eduardo Campos (PSB) designou o secretário-executivo para a pasta.