Por bferreira

Saltinho (SC) - A cidade de Saltinho, em Santa Catarina, amanheceu em choque ontem, quando uma jovem de 19 anos foi encontrada morta com um tiro na cabeça na casa da irmã, 22, e do cunhado, 26, também feridos gravemente. Para a polícia, a hipótese de assalto está descartada, já que nada foi roubado do imóvel.

Silvane Bortoli passava as férias na casa do casal, e foi encontrada pelo irmão por volta das 8h na sala. No mesmo cômodo, estava sua irmã, Margarete Bortoli, com um corte profundo na testa e passando mal, com sinais de que havia ingerido — não se sabe se por vontade própria ou à força — uma grande quantidade de medicamentos. A caminho do hospital, Margarete entrou em coma. No quarto, deitado na cama sem roupa, estava Vanderlei Kogh, marido de Margarete, também com um tiro na cabeça, mas vivo.

A única arma encontrada pela polícia na casa foi um revólver calibre 32, que estava perto de Vanderlei. A arma foi carregada com seis munições — três balas foram deflagradas e outras três falharam.

A polícia trabalha com a hipótese de crime passional: como a porta da casa estava aberta quando o irmão das duas mulheres chegou, há a possibilidade de que houvesse uma quarta pessoa na cena do crime. Mas também é cogitada a possibilidade de que uma das três vítimas tenha atacado as outras duas e tentado suicídio.

Em entrevista à RedeComSC/Diário do Iguaçu, o investigador Demóstenes Menin afirmou: “Como inquérito policial, vamos conseguir explicar o que deve ter acontecido no local. Agora, é uma fase de depoimentos, análise da arma de fogo, das demais evidências colhidas na casa, e de esperar que as duas vítimas que estão hospitalizadas se salvem para contar suas versões. Mas podemos dizer que nada foi roubado do local.”

O crime aconteceu na localidade de Linha Nova, na Zona Rural de Saltinho, que tem cerca de quatro mil habitantes.

Você pode gostar