Por tamara.coimbra

São Paulo - O Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu na última sexta-feira habeas corpus para a mãe de Joaquim Ponte, morto aos 3 anos em novembro, em Ribeirão Preto (SP). A psicóloga Natália Mingone Ponte vai deixar a Penitenciária de Tremembé nesta segunda-feira. Ela é acusada de omissão por deixar o filho com o padrasto Guilherme Raymo Longo, apontado pela Polícia Civil como responsável por matar a criança.

Esta é a segunda vez que Natália consegue sair da prisão. Ela foi presa no último sábado por odem da Justiça. Na primeira passagem pela cadeia, a mãe de Joaquim ficou 31 dias encarcerada. Funcionários contaram que Natália quase não falava, ficava direto debruçada nos livros com o cigarro aceso para acompanhar.

Você pode gostar