Por julia.sorella
Assunção - Brasil e Paraguai iniciarão neste ano a construção de uma nova ponte que unirá sua fronteira sobre o Rio Paraná, disse nesta quinta-feira o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, depois de se reunir em Assunção com o chanceler paraguaio, Eladio Loizaga.
"Esperamos que a segunda ponte se concretize muito em breve e iniciemos as obras neste ano", anunciou Figueiredo em um pronunciamento conjunto com Loizaga, no qual não aceitaram perguntas da imprensa. Figueiredo chegou hoje ao Paraguai para analisar as relações entre os países e visitar o presidente Horacio Cartes. Por sua parte, Loizaga declarou que a nova ponte, que se somará à da Amizade, que une a cidade paraguaia de Ciudad del Este com Foz do Iguaçu, "já está em pleno processo de licitação".
Publicidade
Nesta mesma semana chegou a dizer que a licitação começaria em fevereiro. O ministro paraguaio, por sua vez, disse que passaram em revista temas bilaterais pendentes, sem especificar quais, e projetos para levar adiante a "integração física" entre os moradores, não só com a mencionada ponte, mas também com uma futura conexão ferroviária. "Falamos de várias questões que têm a ver com esta integração cada vez maior entre os dois países e que é fruto de uma amizade profunda e também é algo que se impulsionou com uma relação entre os presidentes (Cartes e Dilma Rousseff), que é algo que facilita nossavida", declarou Figueiredo.
O ministro brasileiro antecipou que também conversaram sobre integração regional em relação ao Mercosul. "Estamos muito contentes porque o Paraguai vai estar na próxima cúpula na Venezuela, esta força que o Paraguai traz outra vez ao Mercosul como um sócio fundador que é, é para nós muito importante", ressaltou o chanceler do Brasil.
Publicidade
A próxima Cúpula do Mercosul, que está marcada para o dia 31 de janeiro em Caracas, representará o retorno do Paraguai ao bloco. O Paraguai esteve suspenso do Mercosul entre junho de 2012, após a cassação do então presidente Fernando Lugo, e agosto do ano passado, quando Horacio Cartes assumiu o cargo. Durante esse período, o Mercosul aceitou como membro a Venezuela, apesar de o Congresso paraguaio ter vetado sua adesão. O Parlamento de Assunção ratificou finalmente a entrada da Venezuela em dezembro, a pedido de Cartes.