Lojistas dizem que greve de ônibus no RS causou prejuízo de R$ 100 milhões

População de Porto Alegre paga mais caro por transporte alternativo e greve chega ao 11° dia

Por O Dia

Rio Grande do Sul - A greve dos motoristas e cobradores de ônibus em Porto Alegre chega ao 11° dia nesta quinta-feira e ainda não tem previsão de acabar. Segundo um estimativa feita pela Câmara de Dirigentes Lojistas, o comércio da cidade foi fortemente prejudicado pela greve, deixando de faturar cerca de R$ 100 milhões desde o início da paralisação. Lojistas alegam que fevereiro é um mês de liquidação e recebem muitos clientes, mas o fluxo de pessoas caiu pela metade se comparado a números dos anos anteriores.

Os grevistas descumprem desde a última semana a decisão da Justiça que determinou que 70% da frota de ônibus voltasse à circulação nos horários de pico. Os grevistas mantêm o pedido de reajuste salarial de 14%, enquanto a Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) afirma que não pode ir além dos 7,5% que foram oferecidos nesta segunda-feira. A ATP anunciou que irá descontar os dias parados na folha de pagamento deste mês pois a greve foi declarada ilegal.

A população de Porto Alegre tem feito muitas reclamações, pois espera cerca de 2h30 para conseguir embarcar em vans e veículos clandestinos. O gasto com as passagens também aumentou pois os veículos alternativos cobra R$ 4,20 por viagem, enquanto nos ônibus o valor é de R$ 2,80.

Últimas de _legado_Brasil