Médica cubana que deixou o Mais Médicos pedirá diferença de salário na Justiça

AMB oficializou, segundo informações do DEM, uma proposta de trabalho para Ramona Rodriguez. Ela abandonou o programa por receber salário menor

Por O Dia

A médica cubana Ramona Matos Rodriguez, que desistiu de participar do programa Mais Médicos, entrará com uma ação na Justiça do Pará para pedir indenização por danos morais e 90% da remuneração não paga à profissional em quatro meses de trabalho, além valores referentes ao 13º salário, férias e FGTS. A informação é do líder do DEM Mendonça Filho (PE). O salário do Mais Médicos é de R$ 10 mil mensais, mas um acordo do governo brasileiro com o cubano prevê um repasse de R$ 900.

“A legislação brasileira estabelece que qualquer pessoa que seja aviltada, diminuída do valor do trabalho e tratada de forma desigual tem o direito de reivindicar dano moral. Há médicos contratados dentro do programa que ganham R$ 10 mil por mês e os médicos cubanos recebem no Brasil pouco mais de R$ 900. Ou seja, menos de 10%, o que por si só é uma agressão a um direito fundamental do ser humano”, explicou Mendonça Filho.

Ramona Matos Rodriguez, médica cubana que saiu do programa Mais MédicosDivulgação

Nesta quinta-feira, a Associação Médica Brasileira (AMB) oficializou uma oferta de trabalho a Ramona para atuar, inicialmente, na área administrativa da sede da entidade em Brasília. A médica deve iniciar suas atividades na próxima segunda-feira, após ter a posse do número de protocolo do pedido de refúgio no Brasil

Últimas de _legado_Brasil