Por thiago.antunes

Rio - O Pros e o PSB do Rio estão ‘namorando’. Na semana passada, o prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo (PSB), almoçou na Serra com dois deputados federais: o pré-candidato ao governo pelo Pros, Miro Teixeira, e o presidente regional do partido, Hugo Leal. E ontem, o vice-presidente regional do PSB, o também deputado federal Glauber Braga, confirmou que o Pros é um dos três planos que os socialistas têm na manga para enfrentar a aliança-trator em torno do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Miro foi econômico: “Fui comunicar a ele (Bomtempo) que sou candidato.” Mas deixou escapar que já esteve com o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, e já combinou de marcar com o presidente regional do partido no Rio, o deputado federal Romário, um encontro para falar de sua pré-candidatura. Se o ‘amor’ vingar, Miro poderá ser o palanque que falta no Rio para o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pré-candidato a presidente do PSB.

Glauber lembra que “a possibilidade de o PSB do Rio ficar com o (vice-governador Luiz Fernando) Pezão é zero”: “O PSB está buscando uma alternativa que seja o novo para o Rio.” O partido era aliado ao governo do estado, mas rompeu com o PMDB por conta da decisão de Eduardo de concorrer contra a presidenta Dilma Rousseff. A crise levou à intervenção da executiva nacional no Rio e à saída de Alexandre Cardoso, substituído por Romário na presidência regional. As outras duas alternativas para o PSB do Rio são compor com o senador Lindbergh Farias (pré-candidato do PT) ou lançar candidato.

Hoje, a legenda segue dividida, como explicou o prefeito de Piraí, Dr. Luiz Antônio (ex-PSB, sem partido). “Eu pedi meu desligamento. A intervenção sem diálogo foi um desrespeito. Estou com Pezão porque conheço bem sua capacidade de governar. Era a posição que eu ia defender no partido. Mesmo entre os que ficaram (no PSB), várias pessoas disseram que têm preferência por Pezão”, disse o ex-socialista, que comanda a cidade do vice-governador.

Zaqueu e Minc na ‘caravana'

Alexandre Cardoso também está com Pezão, que, até ontem, reunia na aliança com o PMDB: PSD, SDD, PP, PDT, PTB, PSL, PTN, PSC, PSDC, PRTB, PHS, PMN, PTC e PRP.
Lindbergh passou o dia em São João de Meriti, em sua ‘Caravana da Cidadania’, que começou há um ano. Ontem foi a primeira vez que os deputados estaduais do PT Carlos Minc e Zaqueu Teixeira o acompanharam no compromisso depois do rompimento do PT com o PMDB. Até o fim de janeiro, os dois eram secretários estaduais.

Você pode gostar