CPI do Trabalho Infantil funcionará por mais 120 dias

Presidenta da CPI explicou que prorrogação vai ajudar no trabalho de mapeamento em território nacional

Por O Dia

Brasília - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a exploração do trabalho infantil terá mais tempo para continuar os trabalhos de apuração de crimes e indicação de políticas de combate à exploração ilegal da mão de obra de crianças e adolescentes. O colegiado teria que ser extinto no próximo dia 5 de março, de acordo com o tempo previsto no Regimento Interno da Câmara, mas os deputados decidiram nesta quinta-feira, em plenário, acatar o pedido feito pela comissão e prorrogar os trabalhos por mais 120 dias.

A presidenta da CPI, deputada Sandra Rosado (PSB-RN), explicou que a prorrogação vai ajudar no trabalho de mapeamento da exploração do trabalho infantil em todo o território nacional. A comissão foi criada em setembro de 2013 e teria 120 dias para apresentar o relatório final.

O próximo passo dos parlamentares que integram a CPI já estava previsto antes mesmo de a votação ser concluída. O grupo tinha agendado audiências públicas e diligências para ouvir autoridades e organizadores de eventos de carnaval nas cidades do Recife (PE), de Olinda (PE), Salvador (BA) e do Rio de Janeiro (RJ).

A ideia do grupo é tentar identificar medidas para evitar que o trabalho infantil seja usado como mão de obra barata em atividades como o comércio ambulante. Sandra Rosado defendeu que é preciso “evitar a qualquer custo” essa prática.

Mesmo sem local e horários definidos, a primeira audiência pública deve ocorrer na próxima segunda-feira (17), no Recife. No dia 24 o colegiado ouvirá empresários e autoridade de Salvador. A audiência do Rio de Janeiro está prevista para o dia 25.

Últimas de _legado_Brasil