Governo quer agilidade na extradição de Henrique Pizzolato

Ex-diretor do Banco do Brasil foi preso na Itália utilizando passaporte falso

Por O Dia

Rio - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta segunda-feira que o pedido de extradição do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do Mensalão, vai durar até 24 horas a oartir do recebimento do texto da Procuradoria Geral da República.

“Da nossa parte, tudo será muito rápido. Fui informado pela Procuradoria-Geral da República que receberemos (o texto do pedido de extradição) hoje. Provavelmente em 24 horas encaminharemos ao Ministério das Relações Exteriores para a remessa à Itália”, assegurou Cardozo.

Henrique PizzolatoReprodução Internet


Pizzotato fugiu para a Itália, onde tem cidadania, para escapar do cumprimento da pena de 12 anos e 7 meses de prisão em regime fechado pelos crimes de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. O mensaleiro está preso em Modena acusado de falso testemunho, submissão de pessoa e falsidade ideológica, após ser detido pela polícia italiana usando um passaporte falso em nome do irmão morto há 36 anos.

Últimas de _legado_Brasil